Cursos e Treinamentos em Brasília, BH e São Paulo.

Assine a nossa Newsletter.

Please reload

OZONIOTERAPIA

Você está aqui: Para Farmacêutico > As Práticas Integrativas > Ozonioterapia
Ozonioterapia11_edited2.jpg
Imagem meramente ilustrativa

FORMAS DE APLICAÇÃO DO OZÔNIO MEDICINAL

    Existem dez métodos de aplicação do Ozônio que se mostraram os mais eficientes, depois de muitos anos de estudos e experimentos:


    Auto-hemoterapia Maior - GAHT: É o tratamento externo do sangue do paciente, seguido de reinfusão por via endovenosa. Utilizada em geriatria, para revitalização em geral (útil especialmente para atletas), no tratamento de problemas circulatórios e de doenças provocadas por vírus e condições relacionadas à resposta imune em geral. Por este método, 50 a 100 ml de sangue do paciente são retirados na maneira normal, enriquecida externamente com uma quantidade exata definida da mistura gás oxigênio-ozônio, com material e os recipientes estéreis e descartáveis. O ozônio reage completamente e imediatamente com substâncias específicas que compõem as células vermelhas e brancas do sangue, e desse modo ativa o seu metabolismo. É este sangue ativado (não mais o ozônio ou o oxigênio) que é reinfundido imediatamente no paciente, usando-se para isso um equipo de transfusão (frasco de vidro com vácuo).


    A insuflação retal do ozônio: Não é tão inconveniente ou desagradável quanto possa parecer. De fato, o paciente não sente desconforto, porque a mistura gasosa oxigênio-ozônio é absorvida diretamente pela mucosa intestinal em frações de segundos. Além disso, o tubo de inserção (sonda retal) é descartável e lubrificado, o que torna o método totalmente higiênico e prático. Este método é indicado primeiramente para condições inflamatórias do intestino, mas está encontrando uso crescente para processos gerais de revitalização, em substituição à Grande Auto-hemoterapia, em pacientes com veias difíceis e crianças. Previamente ao ciclo de aplicações da insuflação retal (entre 10 a 20), é útil a realização de enemas de café, que promovem a limpeza da mucosa do reto (última porção do intestino), facilitando a absorção da mistura gasosa oxigênio-ozônio, além de ajudar na desintoxicação de fígado e rins.


    Auto-hemoterapia Menor - PAHT: É uma aplicação, através da via intramuscular, de 5 a 10 ml de sangue ozonizado. Pode ser usada em doenças alérgicas, acne ou de maneira geral para melhorar a resistência inerente do organismo.


    Tratamento tópico com ozônio: São utilizadas bolsas apropriadas (bag) este método requer um sistema fechado de circulação da mistura gasosa. Uma parte do corpo, por exemplo, uma perna é colocada dentro de um saco plástico transparente, feito de material ozônio-resistente, cujas bordas são vedadas junto à pele. A parte do corpo a ser tratada deve ser previamente umedecida com água, porque o ozônio age menos em áreas secas. Em seguida, o ar é retirado de dentro do saco plástico, e a mistura oxigênio-ozônio é injetada. Após 10 a 20 minutos o ozônio é aspirado para fora do saco plástico, e este é retirado do paciente. Este método é altamente eficaz para tratar úlceras, escaras, feridas abertas, lesões pós-operatórias, herpes, áreas infectadas, queda de cabelo, dentre outras lesões.


    Insuflação vaginal de ozônio: É uma forma de aplicação tópica da mistura gasosa, realizada por meio de uma sonda plástica. É um procedimento indolor, indicado em casos de infecções vaginais (corrimento), em especial as candidíases de repetição. A lavagem prévia com água bidestilada ozonizada potencializa o efeito da mistura gasosa oxigênio-ozônio.


    Água ozonizada e azeite ozonizado: O uso da água bidestilada ozonizada tem sido demonstrado como altamente interessante na odontologia, principalmente no tratamento de canais dentários e de afecções da gengiva. Á água ozonizada bidestilada é também utilizada no tratamento de queimaduras. O azeite ozonizado tem sido aplicado no tratamento tópico de úlceras, feridas, escaras e dermatites, com bons resultados. Usam-se principalmente o azeite de oliva e o óleo de sementes de girassol. É segura a inalação de azeite ozonizado (e não da mistura gasosa oxigênio-ozônio), pois as triozonides de trioleína presentes na sua composição, exercem efeito anti-inflamatório e mucolítico, muito útil em processos infecciosos de vias aéreas superiores.


    Injeção intra-articular de ozônio: Este é injetado diretamente dentro do espaço articular da articulação afetada. Este procedimento requer treinamento especial do médico, e é utilizado em muitos consultórios de ortopedia. É indicado em artrites, artroses e rigidez articular. Com a injeção intra-discal, realizada por neurocirurgiões e ortopedistas treinados, é possível tratar um grande número de hérnias de disco, evitando cirurgias maiores.


    Injeção subcutânea de ozônio: Este método pode ser utilizado com dois objetivos: analgesia (alívio de dores agudas e crônicas, hérnia de disco) e fins estéticos (celulite, gordura localizada, flacidez, escleroterapia de microvarizes, olheiras, rugas de expressão, queda de cabelo, manchas de pele, cicatrizes hipertróficas, quelóides, nódulos de gordura (lipomas), dermatites, para revitalização facial e no pós-operatório de cirurgias plásticas reparadoras ou estéticas.


    Sauna com ozônio: A sauna com ozônio apresenta vários benefícios, principalmente como adjuvante na eliminação de toxinas. Também tem efeito relaxante muscular (aumenta a flexibilidade), melhora a circulação sanguínea, promove vasodilatação dos vasos de menor calibre (o que ajuda a aliviar dores e otimiza a cicatrização), auxilia na eliminação de infecções secundárias e acelera o metabolismo (perda de 200-450 calorias em sessão de 20 minutos).


    Banho com ozônio (hidrozonoterapia): Promove drenagem linfática, absorção transcutânea de oxigênio, tem efeito relaxante (geral e muscular) e faz prevenção de fibrose, infecção e pigmentação. Jatos de ozônio (387-600 jatos), com intensidade variável, em água morna, com duração entre 5 a 25 minutos. Está indicado em pré e pós-operatório de cirurgia plástica, celulite, estagnação linfática e circulatória, queimaduras, revitalização, estresse, micoses e para preparo de atletas (antes e após competições).

   

    ATENÇÃO
→ Inalar ozônio é absolutamente proibido e altamente perigoso. Esta é praticamente a única via de aplicação do ozônio que não pode ser utilizada de maneira nenhuma.

→ A aplicação direta por via endovenosa da mistura gasosa oxigênio-ozônio também não é recomendada.