Faça parte da nossa lista de e-mails e nunca perca as novidades do nosso site.

Please reload

PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERAPIA

Você está aqui: Para Farmacêutico > As Práticas Integrativas > Plantas Medicinais e Fitoterapia
Farmacêutico, farmaceutico, homeopata, Brasília
Imagem meramente ilustrativa

BREVE HISTÓRICO DAS PLANTAS MEDICINAIS: ORIGEM (PERÍODO A.C)

   O uso de plantas para tratamento de enfermidades já se fazia presente nas primeiras civilizações. Entretanto, somente a partir de relatos por escrito é que se pode traçar a história do uso das ervas. A seguir, um breve histórico da utilização de plantas como medicamentos.

 

   China

Os primeiros manuscritos foram baseados no conhecimento tradicional e somente alguns originais resistiram ao passar dos anos. A existência desses manuscritos pode ser inferida por referências feitas em trabalhos posteriores. Acredita-se que um dos mais antigos tenha cerca de 5.000 anos. Somente no século II d.C. suas informações começaram a circular pela Europa, por meio de um Herbário impresso.

 

   Egito

O Papiro egípcio (Papiro de Ebers), de cerca de 1600 a.C., lista muitos medicamentos feitos a partir de plantas, animais e minerais. Vários ainda estão em uso, como: funcho (Foeniculum vulgare Miller), coentro (Coriandrum sativum L.), genciana (Genciana lutea L.), zimbro (Juniperus communis L.), sene (Cassia angustifolia Vahl.), timo (Thymus vulgare L.) e losna (Artemisia absinthium L.).

 

   Índia (Ayurveda)

Os VEDAS, poemas épicos de cerca de 1500 a.C., fazem menção a plantas medicinais até hoje utilizadas, como: alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), gengibre (Zingiber officinale Roscoe), mirra (Commiphora myrrha (Nees) Baillon), manjericão (Ocimum basilicum L.), alho (Allium sativum L.), cúrcuma (Curcuma domestica L.), acônito (Aconitum napellus L.) e aloés (Aloe sp.).

 

   Grécia - Hipócrates (460-377 a.C.)

Conhecido como o Pai da Medicina, estudou as reações individuais de cada paciente a uma determinada doença, e usou os próprios poderes curativos das pessoas. Dessa forma, o tratamento era ajustado ao indivíduo, com dose unitária e personalizada, e incluía dieta, massagem, hidroterapia, repouso e preparações de plantas.

 

No séc. IV a.C., Aristóteles (384-322 a.C.) mantinha um jardim com mais de 300 espécies de ervas.

 

   Teofrasto (372 – 287 a.C.)

No séc. III a.C., listou cerca de 455 plantas medicinais que constituíram o Primeiro Herbário Ocidental, utilizado até hoje, com detalhes de como preparar e usar cada produto.

Fonte
Cartilha de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Conselho Regional de Farmácia do estado de São  Paulo.