Cursos e Treinamentos em Brasília, BH e São Paulo.

Assine a nossa Newsletter.

Please reload

ACUPUNTURA

Você está aqui: Para Farmacêutico > As Práticas Integrativas > Acupuntura
Acupuntura-49.jpg
Imagem meramente ilustrativa

BIOSSEGURANÇA

 

   A Biossegurança envolve não apenas o acidente, mas todos os fatores que levam à sua ocorrência, visando ao homem e seu bem-estar. Tem como objetivos reconhecer, avaliar e controlar os riscos presentes no ambiente de trabalho.

 

   Pode-se definir Biossegurança como: “O conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, riscos que podem comprometer a saúde do homem, dos animais, do meio ambiente ou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos”.
 

As grandes causas de acidentes estão relacionadas a:
 

  • Instrução inadequada;

  • Supervisão ineficiente;

  • Mau uso do EPI;

  • Não observação de normas existentes;

  • Práticas inadequadas;

  • Planejamento falho de trabalho;

  • Jornada excessiva de trabalho.

 

   Para boas práticas de atendimento a pacientes, deve-se conhecer as normas e os procedimentos de segurança para minimizar os riscos de acidentes.

 

 

Alguns cuidados recomendados durante a prática da Acupuntura:
 
Na introdução das agulhas, nunca tocar na lâmina das mesmas, o que pode ser evitado com a utilização do tubo guia ou mandril. Nos casos de agulhas longas chinesas, deve-se utilizar luvas e gaze estéril;
Na retirada das agulhas, ter atenção para evitar acidentes. As agulhas deverão ser descartadas em recipiente adequado;
Evitar a prática da acupuntura em pacientes com estômago vazio e em posição sentada;
Evitar a perfuração de algumas áreas do corpo como: mamilos, umbigo, globo ocular e genitália externa;
Agulhas auriculares não devem ser mantidas no local por mais de sete dias, pois podem provocar reações alérgicas e infecções locais;
Recomenda-se o uso de agulhas descartáveis.


 

O ambiente de trabalho

 

Os consultórios devem ser amplos e arejados e de acordo com a RDC nº 50/02, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), devem ter uma área mínima de 7,5 m². O piso e paredes deverão ser de material lavável e, preferencialmente de cor clara. Deve dispor de lavatórios/pias exclusivos para lavagem das mãos; as torneiras devem ter acionamento que dispensem o contato das mãos. Junto aos lavatórios deve haver dispersadores de sabão líquido e provisão de papel-toalha.

 

O ambiente deve ser mantido livre de sujeira e poeira. A limpeza deve ser feita com água, sabão e hipoclorito de sódio a 1%.

 

Não é permitida a colocação de plantas, devido à possibilidade de contaminação por Aspergillus, o que poderá ocasionar riscos ao paciente.

 

É importante o controle da qualidade do ar no ambiente (área crítica), que deverá seguir recomendações da Portaria nº 3.523/98 do MS e da Resolução nº 09/03 da Anvisa.

Fonte
Cartilha Acupuntura do Conselho Regional de Farmácia do estado de São Paulo.