Faça parte da nossa lista de e-mails e nunca perca as novidades do nosso site.

Please reload

HOMEOPATIA

Você está aqui: Para Farmacêutico > As Práticas Integrativas > Homeopatia
Farmacêutico, farmaceutico, homeopata, Brasília
Imagem meramente ilustrativa

HISTÓRICO: O DESENVOLVIMENTO DA HOMEOPATIA - HAHNEMANN

 

   Coube finalmente ao médico alemão Christian Friedrich Samuel Hahnemann (1755-1843) estabelecer as bases cientificas e práticas da Homeopatia, introduzindo a experimentação de medicamentos em indivíduos sadios, a elaboração do medicamento dinamizado (diluição seguida de agitação), bem como a elaboração de matérias médicas correlacionando as propriedades efetivas dos medicamentos com os sintomas produzidos pelas drogas experimentadas (desde os sintomas ditos mentais até os físicos, dando importância inclusive, aos sintomas peculiares e raros que apareciam nas experimentações). Dava muita ênfase a uma anamnese cuidadosa e exigia o registro por escrito de cada caso em particular. Era conhecedor das ideias de Francis Bacon e da física de Isaac Newton. Discordava dos métodos de cura baseados na medicina galênica, que ele achava muito especulativa. 
 
   Hahnemann desenvolveu uma medicina de base experimental quando, em 1796, publicou no jornal de Hufeland seu “Ensaio Sobre um Novo Princípio para Descobrir as Virtudes Curativas das Substâncias Medicinais, Seguido de Algumas Exposições Sumárias Sobre os Princípios Aceitos até Nossos Dias”, no qual escreveu: 
 
   “Para aprofundar o conhecimento dos medicamentos, para adaptá-los aos males, deve-se confiar o menos possível no acaso, mas proceder sempre racionalmente (...) só nos resta, por conseguinte, experimentar no organismo humano os medicamentos de que se deseje conhecer o poder medicinal”
 
   O médico que queira aperfeiçoar verdadeiramente sua arte deve fixar sua atenção em dois pontos: quais os efeitos simples produzidos por uma substância tomada individualmente no organismo humano e o que resulta das observações de seus efeitos em tal ou qual doença simples ou complicada. Estas afirmações provêm da observação da relação de semelhança entre sintomas suscitados pela intoxicação pela quina e as curas obtidas por aquela planta citadas num livro de matéria médica de Cullen, médico escocês. Historicamente é dito que Hahnemann, ao traduzir a obra de Cullen do inglês para o alemão, teve a inspiração para desencadear suas experimentações, e desenvolveu um raciocínio que culminou na nova terapêutica. Fez então em si mesmo a experimentação patogenética da quina - ingeriu a casca seca de Cinchona pulverizada e observou a ocorrência de sintomas semelhantes aos da malária. A partir daí experimentou várias outras substancias em si, seus familiares e seus colaboradores, expondo seus trabalhos num espírito rigorosamente objetivo, inaugurando o método experimental antes de Claude Bernard (1813-1851). Era conhecedor das experiências com animais, mas acreditava que, em matéria de terapêutica, não era lícito aplicar no homem conclusões obtidas a partir dos animais. 
 
   Tratava-se de uma revolução que abalaria o pensamento médico e farmacêutico do século XVIII, contrariando muitos hábitos e situações conquistadas para que se impusesse sem choques.